As regras do meu amor

Visite nossa página no Google+



amor feliz

Minha personalidade foi moldada em experiências pessoais. Sou único. Sou diferente de todos. Não estou me qualificando como melhor e nem como pior. Sou de dar sorrisos, beijos e abraços. Não nego perdão porque não exijo perfeição das pessoas e nem de mim mesmo. Mas também sou de mudanças radicais... Quando me ferem, tentam me humilhar ou me desprezam, aprendo a lição, escuto o recado e me calo. Reflito. Procuro ver onde errei. Se errei, peço desculpas e tento melhorar. Mas se alguém me decepciona além dos limites suportáveis da amizade, também esqueço essa pessoa e sigo meu caminho. Não obrigo ninguém a me seguir e nem sigo quem está insatisfeito. Se meu amor é pouco, procurem um maior. Não posso amar mais do que o suficiente para ser feliz. Preservo meu sorriso e a alegria de viver. Não deixo que me levem para relações de sofrimento. Comigo é felicidade ou nada! Minha opinião é de que se alguém está querendo ser infeliz, que seja infeliz sozinho! Meu amor próprio tem esses limites e essas regras. Por isso peço perdão a todos os que se machucaram ao se aproximarem de mim imaginando que eu fosse perfeito ou que tivesse um amor perfeito no coração. Não quero ser perfeito e nem quero um amor perfeito. Só quero ser feliz! Quero errar e ser perdoado. Quero também perdoar as pessoas que amo quando errarem. É possível ser feliz para si mesmo, mas é impossível ser perfeito para alguém. Como a vida é curta, o lógico é viver as possibilidades do amor feliz e não gastar o tempo com as impossibilidades do amor perfeito. 
***Por Marco Aurellio Dias
____________________________________________
Leia e presenteie o livro BIOGRAFIA DE NHÁ CHICA
Livro Impresso veja no link abaixo


    Leia também:

EPUBLICAR - Livros, EPUB, reportagens, Ciência
Página do Jornal O Dias no Google Plus Epublicar é uma livraria online que disponibiliza obras literárias de fundamental importância para a informação e a evolução do ser humano. Perfil do Epublicar no Google Plus